Resenha – Chord Chemistry, do Ted Greene

Ted Greene – Chord Chemistry

O Chord Chemistry é um livro foda de harmonia para guitarreiros. Mas ele deveria ser liberado, pelo menos, somente para quem tá colocando os pés no guitarrista avançado.\

O motivo é que quem não tiver certa intimidade com a teoria e a prática do instrumento corre o sério risco de se sentir intimidado pela quantidade de cifras e diagramas de acordes.

O livro começa com uma revisão rápida de teoria e harmonia, e por revisão entenda-se tudo aquilo que se aprende em harmonia, análise e arranjo na faculdade de música.

Aí está o primeiro problema: ele não estabelece claramente daonde que se está partindo. O Ted Greene sugere aos iniciantes que comecem a estudar e que vão se desenvolvendo aos poucos (o que sempre é válido), mas o nível que precisa pra começar a entender já é muito alto.

Depois ele vai pelo caminho da força bruta, listando acorde por acorde em função da forma, posição no braço do instrumento, inversão, tensões e etc. gerando uma quantidade absurdamente enorme de diagramas de braço para memorizar.

Esse é o segundo erro do livro, na minha humilde opinião: ele não é intuitivo. Basicamente, ele espera que o estudante memorize tudo shape por shape, sem explicar muito a lógica por trás deles. Pra alguns formatos básicos, ok, é assim mesmo. Mas depois das formas mais básicas serem aprendidas, o ideal é cada um já saber qual a lógica por trás delas e como fazer para construir os acordes. Faz muito mais sentido na minha humilde opinião.

Agora, justiça seja feita: o livro é um excelente dicionário de acordes e compêndio de enarmonia (que ele chama de “acordes sinônimos): quais as formas são iguais a outras formas.

Manja o clássico acorde maior com sexta que vira o menor com sétima? Ele explana tudo para um monte de combinações de tensões diferentes.

E ele também tem a aula mais direta de poliacordes para guitarra que eu ja li. Recomendo do fundo do coração.

Anúncios