Porque transformar o estudo em diversão nem sempre é uma boa idéia

O Dr. Noa é um dos meus gurus da música. Ele fala coisas muito sábias e corretas. E a aula de hoje foi sobre metodologias excessivamente lúdicas, que transformam a prática diligiente e chata numa zuera.

É por isso que eu não facilito quando aluno pede algo mais divertido nas aulas.

Não que eu queira tornar a vida dele mais miserável. O ponto não é esse.

O fato é que, independente do que se deseja estudar e praticar, uma hora aquilo vai encher o saco, por uma série de motivos – que muitas vezes não tem absolutamente nada a ver com a prática ou com a aula.

Eu tenho um pé atrás com metodologias excessivamente lúdicas, que transformam tudo numa enorme brincadeira. Tirando musicalização infantil de crianças bem pequenas, o risco de não funcionar é grande.

Fora que parte do aprendizado também é saber segurar a onda quando as coisas ficam chatas.

Anúncios