Estaria o Hip Hop chegando na sua maturidade?

por Rafa

No curso de história do rock que eu fiz, tem um conceito importante que é o de estética hippie.

Basicamente, é a estética de se produzir uma música mais autoral, introspectiva e séria, beirando ao filosófico. Ao mesmo tempo em que fala dos grandes temas humanos, busca criar uma sonoridade equivalente, cheia de experimentos sonoros. Pra um estilo musical que começou cantando coisas do universo adolescente com três acordes, era uma mudança e tanto.

Aí eu vejo hoje gente como a Beyoncé e o Kendrick Lamar, fazendo hip hop e pop (não dá pra falar de um sem falar do outro hoje, embora não sejam a mesma coisa) com toda uma pegada igualmente introspectiva e reflexiva.

O último disco da Beyoncé é assumidamente sobre feminismo, relações abusivas, cura, renascimento e sobre ser uma mulher negra. Convenhamos, não são temas leves, nem divertidos e nem fáceis de digerir. Tudo com uma pegada pop bem forte.

Kendrick Lamar fez um caminho ao inverso, cheio de experimentos de sonoridade no seu ultimo album a ponto de ter gente dizendo que é um divisor de águas no hip hop. Se por um lado ele é mais inovador na sonoridade, ainda aborda os problemas clássicos do hip hop: violência, cultura negra, exploração, racismo

Pra estilos que até pouco tempo atrás eram em grande parte música de boate/academia e gansta rap, também tivemos uma mudança absurda.

Anúncios