Cabos

Meu primeiro professor de guitarra costumava dizer que um cabo tinha duas funções: transmitir o sinal da guitarra pras caixas e dar problema em dia de show. Ele estava certíssimo.

Sua constatação foi quase uma maldição. É bastante comum, principalmente em apresentações pequenas, o som de alguma coisa ficar ruim por conta de cabo. O defeito surge quase sempre no último ensaio geral. Sempre tem algum que resolve dar defeito.

Este problema tão recorrente denuncia o quão descuidados somos com as ligações dos nossos equipamentos. Gastamos uma baba com guitarras, amplificadores, cases, palhetas, uma correia linda e nem sempre lembramos de usar cabos de qualidade e em boas condições. Muitas das vezes, sequer levamos cabo reserva pros ensaios da vida, o que recai no problema de ter que pedir outro emprestado na hora e depender da sorte.

Fazemos tudo que o manual diz para não fazer. Guardamos os cabos qualquer jeito, pisamos em cima, dobramos, deixamos que fiquem sujos e oxidados, puxamos com força, danificamos os plugues e depois nos perguntamos como que o cabo que compramos há uma semana já está perdendo sinal.

“A qualidade do seu som é dada pelo elo mais fraco da corrente”  

Esse ensinamento eu recebi de um grande professor de áudio, durante um curso de sonorização. As chances dela ser repetida à exaustão neste blog são grandes.

Não adianta ter uma guitarra de cinco mil reais ligada num amplificador de dez mil por um cabo de dez reais, pois o som final será o do cabo, e não da guitarra. Muito menos o do amp.

O preço do cabo tem relação com a sua qualidade qualidade. Um cabo fodão, com solda à vácuo (não oxida), plugues banhados a ouro (idem), malha à prova de interferência, boracha de alta resistência certamente custará mais caro que um modelo trançado básico. Não se trata de um simples mimo: você leva o que você paga.

Na verdade, tudo uma questão de adequação do orçamento ao uso que será feito. Um cabo barato de qualidade razoável vai resolver a vida de alguém que precises estudar em casa e não tem muito dinheiro pra investir. Mas talvez este mesmo cabo não de conta de gravar faixas com qualidade profissional.

Fica a dica pra quem está começando nos guitarrismos: faz mais sentido comprar todo um set de qualidade mediana a misturar equipamentos ruins e tops de linha.

Básico

Guitarras não possuem amplificação natural. Para soarem, precisam ser ligadas a caixas amplificadas ou cabeçotes, que são os dispositivos projetados para receber o sinal elétrico gerado no instrumento e transforma-lo em som.

A ligação da guitarra nas caixas é feita através de cabos não balanceados com dois plugues P10 machos – também chamados de plugue banana – um em cada uma das pontas. Como as duas pontas dos cabos são iguais, não existe jeito errado de ligar uma guitarra numa caixa.

Cabo Planet Waves

Cabo da Planet Waves com uma braçadeira de enrolar cabo.

Cada plugue tem dois contatos. O contato mais interno, chamado de vivo, é soldado ao condutor dentro do cabo. O contato externo, por sua vez, é soldado na malha.

Existe um outro tipo de cabo, chamado de cabo balanceado, com dois condutores de sinal na parte interna. Cada um deles conduz uma cópia idendica do sinal do instrumento, com uma defasagem de 180 graus. Quando estes sinais são colocados em fase e somados, os ruídos conduzidos ficam fora de fase entre si, e se anulam.

O que isso significa? Que os cabos de guitarra não são feitos para anular ruídos. Nem o ruído do próprio cabo. É por isso que não é recomendavel o uso de extensões muito grandes de cabo de guitarra (acima de três metros) pois ele não foi projetado para transmissão de sinal por uma extensão tão grande.

Back in Black. Audio gravado com as guitarras plugadas diretamente nas caixas, com os menores cabos possíveis. Ou seja: comprimento faz diferença. Neste caso, quanto melhor, melhor. =P

Defeitos

Podem acontecer três coisas quando um cabo é péssimo ou está em péssimas condições. E elas podem acontecer ao mesmo tempo:

A primeira é a perda de sinal. O cabo com baixa condutividade passa menos sinal, e o resultado é perda de harmônicos e sonoridade. A guitarra soará mais abafada e distante. Dependendo dos casos, ela pode simplesmente não soar.

A segunda é a recepção de sinais. Neste caso, o cabo funciona como uma antena, e sofre interferência elétrica de outras fontes próximas. Pode ser o spot de luz do palco, o a caixa do baixo, os cabos de força que correm por baixo do palco, uma televisão ligada do lado da guitarra, etc. O resultado é um som mais sujo por conta de interferência.

Este tipo de problema acontece quando se leva um cabo inadequado para o trabalho em ambientes com forte interferência elétrica. O cabo pode ser até bom e estar em perfeito estado, mas ele não tem uma blindagem muito forte. É o que acontece com a maioria dos cabos de uso caseiro.

A terceira, mais grave, é o ruído de cabo defeituoso. Não me refiro, aqui, ao ruído (humming) que ouvimos quando a guitarra está em silêncio e as caixas estão ligadas, pois esse ruído é inerente ao circuito. Me refiro a estalos e ruídos  que surgem enquanto se toca, principalmente se o guitarrista se move.

Dicas:

  • Um setup ruim depõe contra o músico. Ruido alto a ponto de parar ensaio ou show pega muito, muito mal. A culpa pode ser do equipamento, mas é sempre o músico que arca com as consequências.
  • Faço minhas as sábias palavras de um colega de trabalho, que diz que quem tem um não tem nenhum. Sempre tenha um ou dois cabos reserva. De preferência da mesma qualidade dos outros cabos utilizados.
  • Evite tirar os plugues de lugar, se possível. Faça-o só se não tiver jeito. É menos um plugue para sofrer desgaste e é menos sujeira que ele pega por ficar exposto. É a conduta ideal para cabos de pedaleira, que não precisam ser arrumados e desarrumados o tempo todo.
  • Jamais use bombril para tirar oxidação de cabos. Esfregar palha de aço só vai piorar ainda mais o processo de oxidação. Ao invés disso, use um pano limpo e muita vontade de esfregar os plugues.
  • Para guardar os cabos, tome o cuidado de enrolar sem dobrá-los.
  • Boa parte das dicas também se aplica a outros tipos de cabo. Os de microfone, RCA, HDMI e USBs da vida também merecem carinho.

↬ Sound on Sound: Secrets of the Mix Engineers

Anúncios