Saindo e voltando para dó maior: os caminhos mais óbvios

por Rafa

Dica pra quem tem interesse em começar a estudar improvisação na guitarra:

Comece estudando a escala de Dó maior (escala e acordes derivados) em uma região do braço. Pode escolher qualquer região, mas fique nela. Não siga pelo resto do braço ainda.

Quando já estiver com um domínio razoável sobre essa escala, comece a estudar as escalas de Sol Maior e Fa maior. Elas são as escalas do quarto e quinto e quarto graus de dó, respectivamente, e são as escalas mais parecidas com a de Do maior.

Esses graus (e suas escalas) são importantes porque são os caminhos mais comuns pra modulação. É muito mais comum sair de uma tonalidade X e ir para a tonalidade da sua dominante ou subdominante do que ir para qualquer outra, simplesmente porque elas se parecem muito.

Depois de malhar bem estas as escalas – Dó maior, Fá maior e Sol maior (I, IV e V graus, respectivamente) comece a estudar os três modos da escala de Lá menor, que é o tom relativo a Dó maior. Seu modo natural tem rigorosamente as mesmas notas que dó maior, ou seja, não muda em nada digitação das escalas. Os modos harmônico e melódico tem uma e duas notas diferentes, respectivamente.

Depois de malhar bem essa escala, faça os tons relativos do IV e V graus: se partimos de dó maior, estudaremos as escalas de Ré menor (relativo de Fa maior, escala do IV grau de dó) e Mi menor (relativo de Sol maior, escala do V grau de Dó).

Essas seis escalas tem muitas notas em comum, e são os caminhos mais óbvios para modulações que saem ou que voltam para dó maior, justamente porque são geradas a partir das notas de Dó maior

Anúncios