O que faz uma música ser boa?

por Rafa

A vida inteira eu tive a curiosidade de entender o que diabos fazia com que as boas músicas fossem boas.

Um dos meus maiores estímulos para aprender música foi justamente entender como e por que isso acontece. Eu imaginava que, quando finalmente entendesse o que está por tras de um hit ou um clássico, eu pudesse aplicar isso nas músicas que eu viesse a tocar ou a escrever.

Só que, quanto mais eu estudava, menos as coisas faziam sentido.

Me diziam que o segredo estavam por exemplo, na harmonia. Aí eu fui analisar grandes músicas de todos os tipos e tamanhos e cores e sabores. Percebi que elas tinham harmonias completamente diferentes e sem qualquer padrão ou semelhança. Isso é, quando havia harmonia, porque nem sempre era o caso.

Isso não quer dizer que harmonia não importa. Muito pelo contrário. Mas o fato é que virtualmente qualquer sequencia de acordes funciona. A diversidade de músicas boas que temos aí não me deixa mentir.

Disseram a mesma coisa para as melodias, o ritmo, o talento dos músicos, o equipamento dos músicos, o tipo de voz, a época, etc, etc, etc. E a cada experimento, o resultado sempre esfregava na minha cara que não havia padrão algum em nada. Que eu estava vendo (e ouvindo) coisas.

Talvez o problema fosse esse mesmo. Se não fossem meus objetos de estudo, talvez fossem as lentes (e microfones) que eu usava para perceber o fenomeno.

Ainda não tenho respostas. Mas tenho algumas boas suspeitas.

Anúncios